domingo, 4 de outubro de 2009

Início das comemorações do centenário da República
















Encontro “A implantação da República em Loulé”

Foram quatro turmas, duas do 9º e duas do 6º ano, que puderam assistir a este Encontro sobre a Implantação da 1º República. O nosso convidado o Eng Luis Guerreiro, tentou chamar à atenção para esta temática e relacioná-la com o meio local, trouxe informações muito interessantes, para que os nossos alunos ficassem com a noção de que este período foi vivido de forma intensa, também aqui em Loulé. No decorrer da sua intervenção e de forma a demonstrar que a História por vezes também é divertida, o Eng.Luis Guerreiro apresentou alguns factos interessantes e até divertidos, ocorridos nesta época em Loulé e que demonstram que antes da Revolução do 5 de Outubro já o Republicanismo tinha bastantes seguidores entre os Louletanos.



















Comemorações do Centenário da República
Notícia produzida pelos alunos da turma 6ºD
No dia 2 de Outubro de 2009, na Escola Básica 2.3 Padre João Coelho Cabanita, na biblioteca, ao alunos das turmas 6ºD e 6ºE foram ouvir o Engenheiro Luís Guerreiro falar sobre a Implantação da República, em Loulé.
Quando chegámos, a palestra estava quase a começar, sentámo-nos e começámos a ouvir o senhor Luís Guerreiro. O senhor começou a falar sobre a nossa cidade, durante a implantação da República e, simultaneamente, íamos observando imagens, projectadas na parede, sobre da vila de Loulé, naquela época (início do século XX).
Com a explicação do convidado, descobrimos que a cidade de Loulé era uma pequena vila, no meio Algarve, onde os meios de transporte para deslocação à capital eram escassos e morosos. Os louletanos raramente iam à capital e quando o faziam usavam o comboio ou o barco; para se deslocarem até à estação de Loulé havia um trem, puxado por animais. Mesmo com dificuldades de comunicação, muitos habitantes de Loulé eram apoiantes da República.
Nessa época, eram publicados em Loulé dois jornais, um que era “O Povo Algarvio” e o outro “Notícias de Loulé”. Muitas vezes, este meio de comunicação era utilizado para as pessoas influentes se provocarem umas às outras.
Com a morte de D. Carlos e o seu filho mais velho, foi mais fácil implantar a República. Loulé, a partir da implantação da República, teve como Presidente da Câmara José da Costa Ascensão. Algumas pessoas não ficaram contentes com isso, mas não puderam fazer nada contra, e foi assim que os padres, nobres e as outras pessoas privilegiadas passaram a ser iguais aos outros cidadãos.
Nós gostámos de participar nesta actividade, promovida pela biblioteca da escola, sobretudo porque ficámos a conhecer mais alguns aspectos do passado histórico da cidade onde vivemos.
Notícia produzida na disciplina de Língua Portuguesa (seleccionada pela turma).
Trabalho realizado pela turma 6ºD, por: Carlos, nº 4; Cindy, nº5; Francisco, nº9; Ruben, nº 18


Nenhum comentário:

O Clube dos “Amigos Coloridos”